RNP assina acordo de permuta para implantar a nova rede MetroSampa

Já existem 37 redes de alta velocidade de fibra óptica espalhadas por regiões metropolitandas de todo o país, abrangendop 3 mil km, interligando instituições de pesquisa e ensino superior

A Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho (Unesp), e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) são instituições que serão beneficiadas com a chegada da nova rede de fibra óptica à capital paulista, a nova MetroSampa. O projeto, que faz parte das Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep), coordenado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), é o primeiro acordo dessa natureza fechado no Estado de São Paulo. O instrumento, assinado no dia 5 de dezembro com a empresa Mega Telecom Comunicações, terá duração de cinco anos e garantirá cerca de 85 km de um par de fibra óptica na cidade. Em contrapartida, a RNP cederá à empresa um par de fibra óptica em Goiânia.

As instituições usuárias da MetroSampa atendidas pela RNP utilizarão a nova rede já implantada pela Mega Telecom. Durante os próximos meses, o projeto finalizará as conexões de última milha – serão realizadas pequenas extensões para que o par de fibra chegue, de fato, dentro das instituições contempladas. A expectativa é todo o trabalho de extensão e adaptação dure seis meses e, logo após, a rede estará em operação.

O diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi, explica que a nova rede é um projeto de longo prazo e busca parceiros para isto, segundo o modelo de parceria estabelecida com a Mega Telecom. Segundo ele, a assinatura desse primeiro acordo é um grande passo para que a RNP amplie e mantenha conexão metropolitana de qualidade em São Paulo. “Enfim, começamos essa implantação. Temos a ambição de conseguir que a nova MetroSampa tenha mais de 300 km de extensão e abranja pontos importantes da cidade nos próximos cinco anos”, afirma Grizendi.

O coordenador do projeto Academic Network at São Paulo (ANSP), Luís Fernández Lopez, garante que a chegada da nova rede surpreenderá os usuários. Segundo ele, com o par de fibra óptica disponível, a velocidade fornecida para todo o anel de fibras garantirá um maior acesso a conexão. “Haverá mais gente conectada na rede e, certamente, estarão mais bem conectados, pois teremos um suporte bem moderno”, avalia.

Já o CEO da Mega Telecom, Carlos Eduardo Sedeh, destaca a importância da permuta com a RNP. Segundo ele, o acordo irá permitir a conexão de pontos relevantes da cidade de São Paulo, através do anel de fibra óptica que a empresa administra e disponibilizará para a rede. “É uma rede estável e altamente moderna que estamos disponibilizando. Será bem mais fácil para as instituições estarem conectadas com esse acordo”, ressalta. Sedeh também comemora a oportunidade que a empresa terá em Goiânia, como contrapartida da permuta. “Iremos utilizar toda a expertise e credibilidade que a RNP já tem na cidade para melhorar nossos serviços”, completa.

Para o gerente do Núcleo de Computação Cientifica da UNESP, Rogério Luiz Iope, a chegada da nova MetroSampa irá complementar o trabalho de pesquisa que já vem sendo feito dentro dos campi da universidade. “Já somos comtemplados pela etapa anterior e agora, com essa extensão, o nosso cenário científico poderá ser aprimorado, juntamente com as nossas capacidades”, avalia.