Nova empresa deve assumir retomada das obras do VLT

Rescisão com consórcio está encaminhada

O controlador-geral do Estado, Ciro Rodolfo, afirmou, durante entrevista à rádio Capital FM, que a obra do Veiculo Leve Sobre Trilhos (VLT) deverá ser retomada este ano. A conclusão do VLT estava prevista para meados de 2014 e deveria custar mais R$ 922 milhões aos cofres públicos em valores atualizados. O valor é inferior ao R$ 1,2 bilhão solicitado pelo Consórcio VLT.
O orçamento inicial para construção do VLT entre Cuiabá e Várzea Grande é de R$ 1,477 bilhão. Até agora, o Governo já desembolsou R$ 1,066 bilhão. A obra está paralisada desde dezembro de 2014. “Este ano teremos uma nova empresa para tocar a obra. Estou muito seguro disso, porque as providências para a rescisão do contrato hoje estão centradas em pilares muito firmes”, afirmou.
Em setembro, o Governo do Estado pediu rescisão do contrato após a deflagração da Operação Descarrilho constatar que o Consórcio VLT pagou propina para membros da gestão do ex-governador governador Silval Barbosa (PMDB) para conseguir licitação das obras.
Em dezembro, o secretário de Cidades, Wilson Santos (PSDB) afirmou, que o estado deverá gastar até R$ 450 milhões para concluir as obras do VLT, metade do que era previsto, cujo valor era de R$ 922 milhões. De acordo com Wilson, o Governo do Estado já tem em caixa R$ 193,4 milhões para dar início à retomada das obras.